recent posts

10 RAZÕES PARA NÃO ASSISTIR REALITY SHOW


Entra ano, sai ano e eles continuam aí, aporrinhando a paciência com seus participantes cada vez mais previsíveis e figuras de celebridade duvidosa. Tem quem adore, mas não são poucos os que não aguentam mais a fórmula. Compreensível. A seguir, 10 motivos para mudar de canal ao ouvir as palavrinhas mágicas “reality” e “show”.
1. A falsa realidade
Teoricamente a ideia do reality show é mostrar “a vida como ela é”, mas o que menos se vê nesse formato é realidade. Ali, diante da câmera ligada, todo mundo finge ser o que não é, fazendo caras e bocas que não fariam no dia a dia. A vida não é uma fazenda com balada e gente na piscina batendo boca o tempo todo. Também não é uma casa com gente sarada na piscina batendo boca o tempo todo.
2. A ideia que realidade é melhor que ficção
Histórias são inventadas e contadas desde que o ser humano aprendeu a se comunicar. São as lendas, os mitos, o arquétipo da civilização. Sem isso, hoje você não teria sua novela ou série preferida passando na TV. Na verdade não teríamos nenhuma ficção. Imagine que, lá nos primórdios, o contador de histórias da tribo reunisse todo mundo ao redor da fogueira para narrar acontecimentos fantásticos. E então viesse um dos membros e dissesse: “ah, em vez desse faz de conta, bora observar a aldeia ali do lado enquanto eles mergulham no lago e batem boca”.
3. O pessoal do “tudo pela fama”  
Quem entra em um reality está disposto a tudo – tudo mesmo – para ganhar seus 15 minutinhos de fama. A “instant celebrity” é um fenômeno da era contemporânea anabolizado por esse tipo de programa. Ele acredita piamente que esses 15 minutinhos se eternizarão. Mas a verdade é que quase nenhum egresso de reality sobreviveu no show business por muito tempo. Todos, entretanto, se miram no sucesso de Sabrina Sato e Grazi Massafera sem perceber que as duas, de fato, são as exceções que confirmam a regra.
4. As subcelebridades
Há dois tipos: aqueles que você nem sabia que existiam e os que você estava feliz por ter esquecido. É um pouco deprimente ver gente que um dia teve certo brilho chorando a “glória” perdida. Pior ainda ver uns tipos que acreditam que são famosos, mas que correm o risco de não serem reconhecidos nem pelo próprio cachorro quando saírem do confinamento.  
5. As pílulas de sabedoria
Pare e relembre rapidamente a seleção de personagens que você viu nos últimos realities. Agora recorde aquela turma reunida no café da manhã, desfiando platitudes entre um bate-boca e outro. De Sol a Nicole Bahls, passando por Kleber Bambam, a coleção de pérolas que saíram entre edredons e corridas na esteira é suficiente para abrir uma loja de colares. Se você quiser curtir gente destilando bobagens, vá para um bar ou entre nas redes sociais.
6. A falta de criatividade
Entra ano e sai ano e tudo o que os realities oferecem é mais do mesmo: gente confinada se matando por um prêmio. Os tipos também não variam – os bonitões, os barraqueiros, os neuróticos, o pessoal que tenta ser bonzinho, os intrigueiros etc. etc. São estereótipos que estão ali para serem reforçados sem muita – ou nenhuma – variação.
7. A falta de investimento
Virou moda pegar a franquia de um reality que já foi produzido em dezenas de países e adapta-lo. Algumas emissoras tentam molda-lo ao gosto local. Outras, nem isso. Não se trata de preguiça, mas falta de ousadia mesmo. Melhor apostar no certo do que no duvidoso, pensam os executivos. Mas é sempre bom lembrar que as coisas mais interessantes que você viu na TV só foram ao ar porque alguém resolveu sair da obviedade.
8.  A superexposição do vencedor
Em terra de subcelebridade quem vence reality é rei. E daí que você tem de aguentar o vencedor por semanas a fio. Com um agravante: mesmo quem não tem o menor interesse no programa, vai acabar sendo bombardeado por uma overdose de informação sobre o(a) fulano(a). Haja “Faustão”, “Hora do Faro”, revistas de celebridades e cadernos de TV. E ainda há o risco de vê-los atuando.
9. A proliferação do gênero
Não bastasse os que já estão aí, cada vez se vê mais tipos de realities surgindo na TV. Os cenários podem ser florestas, oficinas, cozinhas, prédios, casas, escritórios… No final, a impressão é que você está assistindo um daqueles videogames em que só o cenário muda.
10. A certeza de que no próximo ano tem mais
Há poucas convicções na vida. Uma delas é que você vai morrer, a outra é que seu salário não chegará ao fim do mês e a terceira é que haverá uma nova edição do dito reality no próximo ano. Faça ele sucesso ou não.
10 RAZÕES PARA NÃO ASSISTIR REALITY SHOW 10 RAZÕES PARA NÃO ASSISTIR REALITY SHOW Reviewed by euogibi on setembro 24, 2014 Rating: 5



'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();

Ad Home




Tecnologia do Blogger.